quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Minha história com o Cepac - Promotor de Justiça Luís Roberto Jordão Wakim

O Promotor de Justiça de Barueri, Luís Roberto Jordão Wakim, iniciou sua carreira em 1996 e desde então sempre atuou na área de defesa da criança e do adolescente. Ele considera como primordial para se trabalhar nessa área ter admiração por essa fase da vida e gostar de estar em contato com ela. “O que me atraiu também foi a necessidade que a gente ainda tem de defesa e conquista de direitos sociais e atuação firme para que eles possam ser garantidos”, completa Wakim.
Mesmo com os avanços na área de garantia e defesa de direitos ele considera que ainda existem pontos que precisam ser aprimorados como o oferecimento de cultura, lazer e esporte nos bairros. “A falta de oferta traz consequência muito graves e faz com que eles busquem outras referências. Se a gente oferta formação, cultura e lazer eles podem fazer outra opção por estar envolvido em outras atividades”, ressalta ele. 
O Cepac mantém atualmente o serviço de Acolhimento Institucional – Casa Glorinha para casos de crianças e adolescente que foram afastados da família, um serviço essencial dentro do município . “As crianças e adolescentes são encaminhadas por terem seus direitos violados pelos pais, responsáveis ou pelo próprio estado. É um serviço de proteção muito importante”, explica o Promotor. 
A opção pelo afastamento da família ocorre em caráter temporário e excepcional, ou seja, é realizado um trabalho junto à família para que a criança e adolescente retorne para seus lares. O promotor ressalta que essa ação não pode ser a primeira alternativa. Dentro da rede serviços socioassistenciais são realizadas diversas ações para que seja evitado, mas quando existe a violação de direitos é necessário que a criança seja retirada da família.
“O ideal é que não ocorra o afastamento, a primeira coisa como meta da sociedade é garantir direitos. Quando existe uma potencial violação de direitos em algum lar o município tem que efetivar uma ação para proteção”, explica Wakim. 
Os serviços oferecidos no Cepac, como o caso dos projetos Semeando o Futuro, Profissionalizante e Aprendiz Cidadão, colaboram para que potenciais casos de violação de direitos possam ser prevenidos. “Todas as ações que o Cepac realiza são importantes para a prevenção e consagração de direitos. Ofertar a capacitação profissional é ofertar um futuro melhor”, completa Wakim . 
Prestes a completar 25 anos o Cepac atende cerca de 500 crianças e adolescentes, na unidade do Parque Imperial,  no serviço de convivência e fortalecimento de vínculos. "O tempo de existência da instituição é de admirar! Não é fácil fazer o trabalho que se faz por tanto tempo, com seriedade e transparência", ressalta o Promotor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário