quarta-feira, 16 de novembro de 2016

Cepac participa de Worskshop promovido pelo Movimento Nacional ODS

Na última sexta-feira, 11 de novembro, o Cepac participou do Workshop Fortalecendo a parceria entre empresas e ONGs promovida pelo Movimento Nacional ODS – Nós podemos Barueri.
Durante toda manhã foram diversas palestras sobre responsabilidade social e como as ONGs podem estreitar seus contato com as empresas.  O evento também foi espaço para que conhecer outras instituições e empresas com potencial para parcerias.
Além disso, no intervalo do evento as adolescentes do Projeto Semeando o Futuro realizaram uma apresentação de dança.  O Cepac também fez parte da organização do evento junto aos outros parceiros.

Núcleo ODS Barueri
O que é?
Movimento da Sociedade Civil, composto por empresas, governos e organizações sociais, que visa o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em Barueri.

Objetivo

Articular, mobilizar e sensibilizar toda a sociedade m prol dos ODS, sendo ferramenta de participação social nas políticas públicas, de fortalecimento de parcerias e de incentivo a ações colaborativas que contribuam com o desenvolvimento local. 














quinta-feira, 3 de novembro de 2016

Brincando e Aprendendo

        Nos dias 24 e 25 de outubro o Cepac se tornou um grande circuito de brincadeiras. As crianças do Projeto Semeando o Futuro puderam brincar de Soletrando, Dama Humano, Stop, Frase criativa, Caça palavras, Charge, Hora do código, e Jogos de tabuleiro.
O objetivo  da atividade foi melhorar o desenvolvimento escolar das crianças usando como artificio as brincadeiras.













Bate-papo com Fabian Nacer

     
Em 22 de outubro o palestrante Fabian Nacer participou de um bate-papo com as famílias das crianças e adolescentes sobre drogas. Na oportunidade, ele contou a sua história como ex-dependente químico e como conseguiu pedir ajuda e se livrar do vício.
O tema foi sugerido pelo empresário Marcelo Bernardini que foi o apoiador financeiro da palestra.

Roda de conversa: Diversidade, Racismo e LGBT

                O Cepac recebeu em 14 de outubro, à tarde, a palestra Diversidade, Racismo e LGBT com a voluntária Letícia Freitas, bacharela em Comunicação social que atua nessa causa. Os adolescentes do Projeto Profissionalizante aproveitaram a oportunidade para expor casos que sofreram algum tipo de preconceito e, até mesmo, refletir sobre suas condutas.



DIA DAS CRIANÇAS NO OUTBACK TAMBORÉ

      O Dia das Crianças não passou em branco para as crianças da Casa Glorinha – Acolhimento Institucional. Na segunda-feira, 10 de outubro, os acolhidos foram recebidos no Outback do Shopping Tamboré para um almoço especial com tudo incluso. 
Todos os participantes puderam provar os pratos principais do restaurante.  Para abrilhantar ainda mais esse dia especial os colaboradores, impulsionados pela gerente, se mobilizaram e presentaram todas as crianças e adolescentes.   

Minha história com o Cepac

Desde o início do funcionamento da Residência Inclusiva, em janeiro de 2016, Cleonice de Oliveira Alves, desenvolve o trabalho de Assistência Social com os acolhidos. “Eu vejo que o objetivo do meu trabalho no Serviço de Acolhimento Institucional Residência Inclusiva é educativo quando trabalho com temas fomentando a reflexão dos usuários, voltado para trabalhar a convivência e o fortalecimento de vínculos familiares, inserção na rede socioassistencial, assim como para a busca da interação social e a autonomia”, conta Cleonice.
A Residência Inclusiva oferece, a jovens e adultos com deficiência e em situação de dependência, moradia e atendimento individual em diversas áreas. Atualmente, o serviço mantido pelo Cepac é o único do tipo no município de Barueri. A assistente social ressalta o trabalho realizado individualmente com cada acolhido e o desenvolvimento de ações em diversas esferas que buscam a qualidade de vida.
Para Cleonice é gratificante observar a participação dos acolhidos nas atividades e o desenvolvimento deles. “É maravilhosa essa evolução! Apesar dos desafios encontrados no trabalho com pessoas com alguma deficiência, é muito rico quando vemos as diversas possibilidades e soluções para os desafios, basta ter um olhar diferenciado identificando as potencialidades deles”, relata a assistente social. 
Além do serviço de Assistência Social, a Residência Inclusiva conta também com o acompanhamento psicológico e terapia ocupacional, e uma equipe de cuidadores da casa e monitores.